2015

Ruben Ruzafa (ESP), três vezes Campeão Mundial XTERRA, e Kathrin Müller (ALE), defendendo o seu título de Campeã Mundial de Triatlo Cross, foram os grandes vencedores da segunda prova anual do XTERRA Portugal,  na Golegã, este sábado.

É a décima grande vitória seguida para Ruzafa desde 2013, e a sétima vitória em oito corridas da Tour Europeia para Müller desde que ganhou o XTERRA Grécia no ano passado.

O director técnico da Tour Europeia do XTERRA esteve no local para ver toda a acção e nos trazer o relatório…

A previsão do tempo era para um dia quente, e foi! Fiquei contente por ser espectador e tirar fotos em vez de competir com este calor. A maioria dos atleras falou comigo depois da corrida e disse que este foi um dos desafios mais difíceis daqueles que se conseguem lembrar.

A competição teve início às 14.00 e a temperatura da água estava quente (24ºC/75ºF) por isso não houve fatos para ninguém.

A natação consistiu em duas voltas de 750m. A parte divertida é que, para começar a segunda volta, é preciso “trepar” uma subida, correr para uma ponte militar e mergulhar. Roger Serrano foi o mais rápido na natação, com Ruzafa 1 minuto e 20 segundos atrás e o vencedor de Malta, Nico Fernandez, outros 15 segundos.

Na categoria feminina, Kathrin Müller saiu na frente, com a filha de um dos organizadores, Ana, a 30 segundos de distância, e a vencedora de Malta, Brigitta Poór em terceiro.

Na marca dos 10km de bicicleta, Serrano ainda estava na frente, mas apenas a 20 segundos de distância de Francois Carloni, Ruzafa e Fernandez. Quando o percurso se tornou mais técnico, Carloni foi o único homem a conseguir acompanhar o Campeão Mundial e, nesse ponto, Ruzafa tinha a liderança de que já não iria abdicar.

Durante a bicicleta, no comando feminino estava Müller, que disse: “quando eu estava na liderança tentei não stressar, manter-me concentrada no que estava a fazer. Eu sabia que não tinha informação nenhuma de quem estava atrás de mim por isso queria apenas focar-me nas minhas capacidades e ficar a 95%, só para prevenir, nesta corrida difícil, longa e técnica. Foi importante manter-me focada.”

Poór estava a aguentar-se, a cerca de 1 minuto e 30 segundos de Müller, com Jessica Roberts em terceiro e Helena Erbenová a aproximar-se.

Na marca dos 18km repetia-se a liderança do ano passado, com Ruzafa e Carloni na frente. Serrano estava a uns 30 segundos atrás com Fernandez e Yeray Luxem em 4º e 5º. Na categoria feminina, Müller mantinha-se na frente, com Poór a 2 minutos e 20 segundos e Erbenová a mostrar-se mais forte do que acontecera na Malásia e agora em 3º, com Morgane Riou em 4º e Jessica Roberts em 5º-

Nos últimos 10km, Portugal já não é tão técnico e fica basicamente plano. Carloni cometeu um erro numa descida e explica: “o Ruzafa foi sempre forte nas descidas, e eu tive que lutar todas as vezes para não perder muito tempo. Mas no meu primeiro grande erro, fiquei de fora!”

Carloni foi mesmo assim 2º ma transição mas Ruzafa já estava longe, não sendo novamente visto até à meta. Carloni manteve o segundo lugar mas Yeray ficou perto, no 3º lugar. Roger Serrano terminou em 4º, Hector Guerra em 5º e Nico Fernandez em 6º.

No sector feminino Erbenová conseguiu o 2º lugar, mas com algum tempo de diferença para Müller. Brigitta não foi um desafio, mas ficou num forte 3º lugar. A francesa Riou terminou em 4º e Jessica Roberts em 5º.

A corrida foi plana mas lembrem-se do tempo. Estava “super-quente”. Crédito para os organizadores que imediatamente puseram uma estação de água extra na corrida.

A segunda corrida da Tour Europeia acabou e vamos para Espanha em algumas semanas. Alguns dos atletas que correram na Ásia vão voltar quer seja para a Tour Europeia ou para os EUA e vai ser muito interessante. Müller está muito forta, mas Helena parece estar de novo em forma, depois de algumas corridas de aventura, e Brigitta Poór está ainda a melhorar e lidera o campeonato neste momento. Na categoria masculina, alguém têm que bater Ruzafa. Pelo que vimos hoje, levará a perfeição de um dos muitos fantásticos atletas em competição.

“Foi a primeira competição da temporada, pois não estive em Malta, o que é sempre difícil, pois nunca sabes se estás pronto.” disse Ruzafa na entrega dos prémios. “Tive uma pequena lesão durante o Inverno quando tentei correr mais rápido, usando demasiado o meu pé, por isso estava com medo de sentir dor, mas não senti nada hoje. Tive uma boa natação, e como no ano passado, comecei com o Carloni na bicicleta. Estava muito calor, e eu nunca soube quão distantes os outros estavam por isso continuei a esforçar-me. Na meta, quando esperei 3 minutos para que Carloni chegasse, pensei: se eu soubesse, teria corrido mais devagar debaixo deste sol.”

 

Resultados - Pros
Results – Pros
Resultados - Age Group
Results – Age Group